secretariado@spzn.pt https://spzn.pt/uploads/seo/big_1714128161_9668_big_1711985899_8530_spzn_logo_new.png

Sindicatos de Professores anunciam greve às avaliações finais e ao serviço extraordinário


13 Março 2023

Atualidade

Sindicatos de Professores anunciam greve às avaliações finais e ao serviço extraordinário
Os nove Sindicatos de Professores, reunidos em convergência, anunciaram esta manhã a "agenda reivindicativa" para os próximos meses, em que os professores e educadores não vão desistir de exigir que o Ministério da Educação aceite calendarizar a negociação de matérias como a recuperação do tempo de serviço que esteve congelado, a eliminação de vagas e quotas para progressão, o regime de mobilidade por doença, a eliminação de burocracia e o respeito pelos horários de trabalho, entre outras.

Numa conferência de imprensa realizada na Escola Secundária António Sérgio, em Vila Nova de Gaia, Porto, os Sindicatos garantiram que os professores “não se vão deixar calar” e adiantaram que vão apresentar uma proposta negocial para “forçar o Ministério da Educação” a negociar já a pensar em 2024.


___________________________________________________________________________________________________


APSL, FENPROF, FNE, PRÓ-ORDEM, SEPLEU, SINAPE, SINDEP, SIPE e SPLIU tudo fizeram ao longo do processo negocial concluído em 9 de março, p.p., para chegar a acordo com a tutela. Contudo, a solução final para o diploma de concursos e a falta de abertura do ME para a calendarização de negociações sobre assuntos apresentados pelas organizações sindicais – recuperação do tempo de serviço, vagas e quotas de avaliação; mobilidade por doença; aposentação; horários de trabalho; entre outros aspetos –, a que acresce, agora, a inqualificável condição imposta pelo Ministro da Educação para continuar a reunir com as organizações sindicais, não só impediram qualquer acordo, como justificam a continuação da ação e da luta dos professores de forma reforçada.

Nesse sentido, as organizações sindicais decidem convocar as seguintes ações:

Greve a todo o serviço extraordinário, com início em 27 de março de 2023;

Greve a todo o serviço imposto fora do horário de trabalho ou em componente letiva indevida (sobretrabalho), com início em 27 de março de 2023;

Greve a toda a atividade atribuída no âmbito da componente não letiva de estabelecimento (CNLE), com início em 27 de março de 2023;

Greve ao último tempo letivo diário de cada docente, com início em 27 de março de 2023;

Greve por distrito, entre 17 de abril e 12 de maio, começando no Porto, terminando em Lisboa e respeitando, entre o segundo e o penúltimo dia, a ordem alfabética inversa;

Greve e Manifestação Nacional em 6 de junho de 2023 (6-6-23, o tempo de serviço ainda não recuperado do total que esteve congelado);

Greve às avaliações finais (embora prevista a possibilidade de serem decretados serviços mínimos, a sua imposição em 2018 levou o Tribunal da Relação de Lisboa a declará-los ilegais).

Para além destas formas de luta, serão desenvolvidas outras ações:

 - Entrega de ação, no Tribunal da Relação de Lisboa, contra os serviços mínimos decretados para a as greves de 2 e 3 de março, p.p.;

 - Pedido de reuniões às direções dos partidos políticos, aos quais serão colocadas as questões relativas à situação socioprofissional dos docentes, bem como às limitações impostas ao direito à greve; nestas reuniões será solicitado o desenvolvimento de diligências junto do governo, no Parlamento Português e no Parlamento Europeu, neste caso junto dos partidos com representação parlamentar em Estrasburgo;

 - Pedido de reunião à Comissão Europeia, através da Representação em Lisboa, à qual será apresentada queixa pelas limitações impostas ao direito à greve e a aspetos concretos violadores de diretivas comunitárias, designadamente quando são criadas situações de discriminação entre trabalhadores, no caso, docentes;

 - Apresentação de queixas contra o governo português, junto da OIT, Internacional de Educação e Comité Sindical Europeu de Educação, por limitação do direito à greve por parte dos educadores e professores.

O desenvolvimento das lutas agora calendarizadas terá sempre em conta o desenvolvimento dos processos negociais.

 

Vila Nova de Gaia, 13 de março de 2023

As organizações sindicais de docentes

Notícias Relacionadas

Participe aqui - Consulta Nacional sobre a carreira docente e as condições de exercício profissional em Portugal

Participe aqui - Consulta Nacional sobre a carreira docente e as condições de exercício profissional em Portugal

Com este questionário pretendemos conhecer a opinião dos...

13 Março 2023

12 junho - Dia Mundial contra o Trabalho Infantil

12 junho - Dia Mundial contra o Trabalho Infantil

O dia 12 de junho, Dia Mundial contra o Trabalho Infan...

13 Março 2023

Esclarecimentos sobre o Acordo FNE e MECI de recuperação do tempo serviço

Esclarecimentos sobre o Acordo FNE e MECI de recuperação do tempo serviço

O acordo entre a FNE e o Ministério da Educação, Ciê...

13 Março 2023

Comissão da Juventude SPZN sobre acordo assinado entre a FNE e o MECI

Comissão da Juventude SPZN sobre acordo assinado entre a FNE e o MECI

A Comissão da Juventude do Sindicato dos Professores da Zon...

13 Março 2023